sábado, 25 de outubro de 2008

JOAOZINHO SEM TETO

Joãozinho sem teto dormia
Debaixo de um pontilhão
Nas longas noite de frio
Seu corpo tremia no chão

E mesmo sofrendo calado
Joãozinho sonhava com a vida
Enquanto a alegria não vinha
Sua alma chorava sentida

Assim dormindo o menino
Naquele relento sonhando
Não previa em seu acordar
A dôr que o estava esperando

E muitas pessoas passando
Não davam a Joãozinho atenção
No entanto o garoto esperava
O calor de um bom coração

Numa noite fria de inverno
Nem o pontilhão protegeu
Naquela giada assassina
Joãozinho sem teto morreu

Um comentário:

dede disse...

nossa que lindo, mto chocante