quinta-feira, 4 de agosto de 2011

DECEPÇÃO DE UM PAI

Um idoso bem doente
Ja no estado terminal
Perguntava pelo filho
Numa cama de hospital

Triste o velho reclamava
O dia da despedida
Em que o filho foi embora
Para melhorar de vida

E nas cartas que chegava
Vindas de outros estados
A seu pai ele falava
Ser um moço bem formado

O doente acreditando
No progresso do filhão
Jamais ele imaginava
Ter criado um ladrão

Mas o povo ao velhinho
Em forma de comentario
Contaram toda a verdade
Do jovem presidiário

Tendo ele longa ficha
De malandro e marginal
O bandido foi levado
A ver o pai no hospital

Lá chegando algemado
Triste fato aconteceu
O velho decepcionado
Ao ver o filho faleceu

3 comentários:

referencia@hotmail.com[2] disse...

linda e triste ao mesmo tempo

mas sabe poeta o que doi mais?

é quando o filho se decepciona com o pai...

Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução! disse...

Que belos versos, meu amigo! A ingratidão ainda é um sentimento que doi, mas a vida é assim nem podemos julgar. As leis divinas são imutáveis. Um abraço!

mãezinha disse...

o senhor me faz chorar.Lindos versos amo meu paizinho obrigado por todos seus lindos versos.