segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

JUSTIÇA DIVINA

Mesmo morto ainda escuto
Estirado neste chão
Uma voz divina e meiga
Vinda da imensidão

E suave vem dizendo
Aqui estou a lhe amparar
Pois caido ao chão frio
Meu desejo é ajudar

Esse corpo ai sem vida
Pelas drogas machucado
Um dia te dei meu filho
Pra viver e ser cuidado

No entanto desprezando
O que dei demais perfeito
Obtendo o livre arbitrio
De matar achou direito

Mas ao vê-lo arrependida
Alma triste, amargurada
Sendo Deus toda justiça
Te darei nova jornada

E ganhando outra chance
De voltar e aprender
Para vida e seu progresso
Tornarás a renascer



Um comentário:

Sou Luz disse...

linda msgm amigo!meus parabens!